terça-feira, 1 de junho de 2010

Flor de Outono


Triste e solitária assim é a flor outonal. A última que restou. A que desabrochou quando todas morriam. Apaixonada pela noite. Ela surge imponente no auge da decadência.

Insolente, contrariando as leis da natureza. Mostrando que apesar das adversidades a vida pode existir. Não teme o vento frio. Enquanto as folhas caem, ela encanta os que percebem sua beleza.

Misteriosa... apenas os que conseguirem entender sua essência é que desvendarão os seus segredos. Mas só um terá o privilégio de adentrar no âmago dessa flor.

Seu charme é envolvente. Seu perfume é inebriante. Suas características são inefáveis. Mesmo vivendo ao ermo desperta curiosidade por não ser corrompida. Uma flor singular.

Não é encontrada facilmente, visto que nem todos têm a sensibilidade necessária para se dar conta de que estão diante da verdadeira Flor de Outono.

Os dias decorrem e ela caminha para o destino que se aproxima: o fim da estação. Todavia, ano que vem ela está de volta. Muito mais linda e bela. Desfazendo essa imagem sombria do outono.

Srta. Rocha

Nenhum comentário:

Postar um comentário