quarta-feira, 27 de outubro de 2010

É errado fazer a coisa certa?


Estava encurralada. Todas as suas opções se esgotaram. A linha entre a verdade e a mentira era muito tênue. Não dava para distinguir o que era certo ou o que era errado. Sentia um desconforto enorme por ter que fazer aquilo. Mas não tinha outra forma de sair daquela situação.

Foi envolvendo-se. Quando percebeu estava presa numa grande teia de aranha. Entrelaçada naquela sórdida armação. Negava-se a compactuar com aquilo, porém não dependia apenas dela. Outras pessoas estavam em jogo. Era muito tarde para desistir.

Continuar significava ir contra os seus princípios; desistir, a preservação de seus ideais. Indignou-se quando teve que fingir não ter visto nada. Todos perceberam como ficou transtornada com aquele caso. Não compreendia como conseguiam agir daquela maneira. Era como se fosse natural para eles.

Queria tirar da cabeça todos aqueles pensamentos. Buscava algum meio de tentar esquecer, de não se importar. Entretanto, mergulhava ainda mais nessa atmosfera de insatisfação. Pensava: “é errado fazer a coisa certa?”... “tudo que me ensinaram fora perdido?”...

Impuseram-lhe o que tinha que fazer e o fez contra a vontade. Contudo, seus valores não podem ser mudados. Porque ela sabe quem é e suas atitudes são resultado de suas escolhas.

Srta. Rocha

Um comentário:

  1. Suas postagens sempre me deixam pensativo. Interessante esta ultima, acho que todos já passaram por algo parecido, os valores não podem ser mudados, mas as vezes eles são esquecidos. Não é possível viver sem fazer certas coisas que vão contra eles, no mas é perfeitamente possível viver sem esquecer-los. Acho que desta forma eles sempre irão por um certo "freio" em nossas ações.

    Abraço...

    ResponderExcluir