terça-feira, 22 de maio de 2012

Re-vivendo o passado



É como se não tivesse um ponto final. Sempre o mesmo erro. Será que é proposital? Não, não crê que seja. Então, por que isso acontece no mesmo período cronológico? É algum tipo de carma ou maldição?

Quando pensa que superou, as cenas reaparecem na sua frente e mostram que é apenas o começo do recomeço. Tudo embaralha na sua mente. Como saber se não passa apenas de um pesadelo? O que é real ou irreal nessa confusão de pensamento?

A confiança se desfaz. Vê tudo cair aos pedaços... Mais uma vez enganada pela emoção.  Chega à conclusão de que todos são assim. Não deveria ter baixado a guarda. As coisas não mudam. Com certeza havia algum interesse.

Como não percebeu? O que a prendia? Medo!? Questões sem respostas. Há algo que aperta dentro de si, algo que não sabe o que é. É uma dor, mas não voraz como antes. Talvez não fosse tão surpresa assim. Será que estava tão claro e apenas ela não viu?

Dúvidas! Ações impulsivas! Tudo o que for necessário para não reviver esse passado. Cansou de ser a protagonista dessa história sem fim. Quer apenas alcançar seus objetivos. Pouco se importa se para isso terá que se isolar. Como diz o ditado “melhor sozinho do que mal acompanhado”.

Srta. Rocha

Nenhum comentário:

Postar um comentário