domingo, 19 de abril de 2015

É, acabou!


Eu me perdi no momento que te encontrei. Sabia que estava adentrando um caminho sem retorno. Era arriscado desistir, contudo, permanecer seria a minha destruição.

Eu deveria ter fugido. Mas eu não conseguia resistir aos seus olhos. Ah, como eram inebriantes! Por mais que ficasse constrangida, eu não queria me afastar deles. Estávamos ligados.

Mesmo sabendo como eu me sentia, você queria me ouvir falar. Então entre um copo e outro, eu expus meus sentimentos. Foi um ato desesperado. Feito no calor da conversa. Com consequências inimagináveis.

Talvez o anonimato fosse a melhor opção. Assim eu não teria criado expectativas com relação ao que poderia acontecer depois. Se eu não estivesse tão embriagada... Se eu tivesse mantido o plano. Quem sabe, você estivesse comigo agora.

Não sei porque insisto em me torturar com suas lembranças. Talvez você tenha sido o meu melhor delírio. Ainda assim, isso não justifica eu ficar aqui pensando em você enquanto você não quer que eu faça parte da sua vida.

Você partiu sem dizer adeus. Fiquei esperando por uma mensagem de explicação que nunca chegou. Até o dia que eu percebi que você não ia voltar.

Srta. Rocha

Nenhum comentário:

Postar um comentário