sábado, 26 de março de 2016

Corte os laços


Não se prenda ao passado. Nem espere pelo futuro. Viva o agora. Sinta o ar entrando pelos seus pulmões. Você está vivo. Eu sei que as lembranças doem. Eu sei que a caminhada é tortuosa. Ninguém disse que seria fácil. Olhe para o céu. Mesmo com nuvens é possível ver estrelas. Não perca a esperança de dias melhores. Encontre um motivo para sorrir. Não se deixe contaminar pelo negativismo alheio. Chore, se preciso for. Mas não seja vítima de si mesmo. Solte as amarras. Elimine tudo que lhe faz mal. Sejam pessoas ou coisas. Você é livre para escolher.

Srta. Rocha

sábado, 19 de março de 2016

Negação!


Talvez a pior parte de aceitar o fim é entender que ele chegou. Na verdade, você não quer aceitar o que está escancarado. Então prefere pensar que é uma fase. Conforma-se com a ausência. Satisfaz-se com as migalhas. Abre mão das suas vontades. Tudo porque acredita ser o certo.

Não questiona, porque não quer pressionar. E aí é consumido pelas dúvidas. São tantas perguntas e nenhuma resposta. Apenas suposições que não levam a lugar nenhum. Mas ainda assim, você pensa que vai passar. Que é normal. Pois tendemos a imaginar coisas. A procurar problemas onde não existe.

Até que num dia, despretensioso, surge algo. Suas certezas caem por terra. Seu lado racional lhe diz: - eu avisei! Enquanto que o seu coração, está aos prantos. E você não sabe o que fazer. Sente ódio. Uma fúria que nunca imaginou ter. Enquanto que ao mesmo tempo, quer apenas um lugar para se reconfortar. Para juntar os cacos da sua ilusão.

Infelizmente não há! Você precisa enfrentar. Não há para onde fugir. O que mais você quer? Está tudo aí. É irrefutável. Não adianta buscar argumentos. Não há embasamento para isso. Aceite! Acabou! É o fim! Quantos adjetivos você precisar para entender isso? Será que não está suficientemente claro para você?

Negue. Recuse-se. É um direito seu. Mas não se abstenha dos fatos!

Srta. Rocha

quarta-feira, 16 de março de 2016

Minha perdição


Seus olhos nos meus
Cada vez mais perto
Sinto sua respiração
Meu coração acelera
De súbito, o encontro.

Me desfaço em seus braços
Me entrego aos seus desejos
Faça de mim o seu ensejo
Não adianta resistir
Pois já chegamos até aqui.

Nossos corpos entrelaçados
Nesse ritmo descompassado
Completamente inebriados
Dessa sensação
Que é a perdição. 

Srta. Rocha

terça-feira, 8 de março de 2016

Des-construção


“Nada é estático. Tudo está desmoronando.” já dizia Tyler Durden, em Clube da Luta. Assim, eu vou me desfazendo de todos os conceitos obsoletos. Desconstruindo todas as ilusões. Porque é necessário chegar ao fundo do poço para enxergar a luz. Tão palpável quanto a dor é a certeza da sua dissolução. Contudo, a cada estágio perde-se um pedaço de si. Na tentativa de suturar, expõe-se mais a ferida. Que sangra lentamente. Então, você se desespera. Olha para todos os lados e não encontra uma solução. Ao atingir o ápice do desequilíbrio, é que você entende que tudo isso faz parte do processo evolutivo. Cada parte arrancada de você foi feita com um único intuito, fazê-lo mais forte. Nesse momento, você está pronto para sair dessa existência medíocre. Sem expectativas, você encontrará o seu caminho. Ou simplesmente, se absterá.

Srta. Rocha