sábado, 30 de abril de 2016

Dualidade


Eu que sempre caminhei entre abismos não imaginava que pudesse cair. Sabia dos limites. Mas não das consequências. Foi quando tudo ficou escuro. Talvez eu já tivesse indícios de que, cedo ou tarde, cruzaria a linha. Contudo, insistia em brincar com a sorte. É que os dois lados eram tão excitantes. As possibilidades que me ofereciam eram tão irrecusáveis. Contrapondo todos os pontos, era inevitável não escolher um dos dois. Eu estava cansada de nadar contra a maré. Então me deixei levar. O que eu tinha a perder? Nada! De tanto me ausentar só me restou o vazio. Agora esses ecos vagam na escuridão. Deixando apenas um borrão. Lacunas que nunca serão preenchidas. Ainda que houvessem respostas.

Srta. Rocha

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Roda da volta à vida

    Impiedosa era a vida que eu levava, impiedoso era eu que me calava perante a minha própria sombra, mesmo ainda na prematuridade, regida pela ignorância, já conseguia me afogar na lama dos meus pensamentos, tamanha era minha tolice, esta que eu jogava aos outros, que julgava longe de mim. Perdido eu já sabia que estava, mas predestinado eu não aceitava.
    Percebia o universo fluíndo enquanto eu caía, toda aquela roda girava só para me levar ao meu verdadeiro lugar, mas antes de chegar, dormi, e acordei nos sonhos, alguns me pediam socorro, outros me derrubavam com a minha vontade... antes não via assim, antes eu não me enxergava a empurrar o verdadeiro eu da escada. Eu segurei a arma, as sombras puxaram o gatilho, mas no fim era eu quem me atingia.

    Se aquelas verdades fossem uma cobra, hoje eu estaria blasfemando deitado no eterno colchão material, mas aquelas verdades se explicaram como uma criança, uma inteligência de expressão simples, que calou minhas calúnias, e sem julgar, me levou para o lugar que estou.

    Ícaro Leandro Mendes de Souza

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. Muito obrigada, Ícaro! Adorei o que você escreveu nos comentários. Venho bem a calhar com os sentimentos que cercam minha cabeça essa noite.

      Excluir